Notícias

No. 069 – Inventário Biopsicossocial de Risco

CompartilharShare on Facebook

INVENTÁRIO BIOPSICOSSOCIAL DE RISCO

SCHLOSSMACHER, Caroline da Silveira¹; RIECHI, Tatiana Izabele Jaworski de Sá¹; GOULARTE, Líria Grockotzki¹;ANTONIUK, Sérgio¹; TABAQUIM, Maria de Lourdes²

¹Universidade Federal do Paraná (UFPR); ² Universidade de São Paulo (USP)

Laboratório de Neuropsicologia da Universidade Federal do Paraná (Labneuro-UFPR), Centro de Neuropediatria (CENEP), Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC UFPR), Universidade Federal do Paraná (UFPR)

E-mail: caroline.dsilveira@gmail.com

Objetivo: Elaborar um inventário sensível à identificação de fatores biopsicossociais de risco e proteção na primeira infância, para ser usado como referencial visando facilitar a comunicação entre profissionais de psicologia e outros profissionais da saúde dentro de equipes multidisciplinares. Método: Etapa 1: Pesquisa bibliográfica sobre fatores biopsicossociais de risco e proteção na primeira infância, e elaboração do Inventário Biopsicossocial de Risco (IBR) a partir de seleção dos fatores mais discriminativos para uso em equipes multidisciplinares de atenção precoce. Etapa 2: Estudo transversal de caráter quase experimental de aplicação do Inventário Biopsicossocial de Risco (IBR) em populações classificadas como risco (Síndrome de Down, epilepsia, crianças em situação de violência, prematuridade) e populações controle; para validação do instrumento. Resultados: 1) Levantamento bibliográfico; 2) Preparação técnica do sistema de informática para preparação do banco de dados online e a programação do sistema; 3) Elaboração do Inventário Biopsicossocial de Risco (IBR); 4) Elaboração e envio do projeto ao Comitê de Ética; 5) Elaboração de projeto piloto. Discussão: No aguardo do retorno dos dados de toda a equipe para início das análises preliminares. Conclusão: Constata-se a necessidade de pesquisa com outras populações de risco e validação do instrumento dentro do trabalho com as equipes multidisciplinares, bem como a relevância deste trabalho, pois na literatura brasileira ainda não há nada do gênero.

Palavras-chave: fatores de risco; fatores de proteção; intervenção precoce; neuropsicologia.

Categoria: Notícias